segunda-feira, 7 de dezembro de 2015


Não existem palavras
Que possam definir
Determinados estados de espirito
É preciso viver as coisas para as conhecer...
Tão certo.
Um dia dei colo à tristeza
Hoje pedi-lhe colo
Porque sabia que apenas ela
Seria capaz de entender
O que a minha alma sentia
Lágrimas interiores
Não decifráveis à luz do dia.
Todos os sentimentos
Reunidos num
Sem nome, sem rumo e sem origem
Sabendo, no entanto, a origem do rumo e do nome.
Jamais alguém poderá entender o que foi sentido
Jamais alguém poderá sentir o mesmo
Jamais entenderá o porquê do que foi sentido
Por não compreender o sentido
Do fazer sentir.
Controverso... não
Apenas enconcontro
Com o vazio do que está presente.
Dina Ventura – “only me”

4 comentários:

  1. Sim, jamais!
    ... passei para desejar um Feliz 2016!
    beijinhos e saudades daqui :)
    mariam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinhos minha querida e um bom ano para ti com tudo que desejas <3

      Eliminar
  2. Votos de uma óptima noite , grato pelo poema

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar